quarta-feira, 20 de junho de 2012

VANTAGENS DO MISSIONÁRIO AUTÓCTONE


O Projeto “Frutos da Terra” aponta um caminho viável, com inúmeras vantagens para o avanço de missões, sem desconsiderar a necessidade de enviar brasileiros para o mundo. Até porque esta estratégia só faz sentido onde um missionário estrangeiro desbravou, evangelizou, plantou igreja e agora precisa deixar que os próprios obreiros nacionais ampliem a visão. Conheça alguns pontos importantes:

  • Adaptação cultural
Se o obreiro for nativo, não será necessário gastar tempo com preparação, treinamento, nem mesmo com o aprendizado do idioma. Mesmo que o alvo seja uma aldeia/tribo vizinha, salvo algumas exceções, o nativo levará uma grande vantagem, pois convive com seus irmãos, enquanto o estrangeiro, por mais abnegado que seja, jamais alcançará esse nível de identificação com a realidade local.

  • Honrar os obreiros locais
A comunidade local, testemunhando a integração de seus membros com o trabalho, passará a ter mais confiança na missão estrangeira e consequentemente receberá melhor o projeto de evangelização em curso.

  • Ajuda ao missionário estrangeiro
Uma das maiores dificuldade para quem está no campo é obter ajuda dos nacionais. Com essa adoção por igrejas tutoras, o missionário terá o apoio necessário, avançará sobremaneira na evangelização e poderá dar mais atenção ao treinamento, à preparação teológica e ao pastoreio.

  • Despertamento da igreja tutora
Haverá a possibilidade de igrejas pequenas, e mesmo crentes individualmente, sustentarem missões, pois poderão se corresponder com o obreiro adotado, e até mesmo visitá-lo, monitorando assim o desenvolvimento do trabalho.

  • Menor custo financeiro e trabalho logístico
O envio e o sustento de um brasileiro para qualquer país do mundo é caro, complicado e desafia qualquer sonho de fazer missões. Então, a adoção de missionários autóctones pode ser a estratégia inicial para que as igrejas criem a cultura missionária adequada até o envio definitivo de seus próprios obreiros.


OBS: leia nos outros posts mais detalhes sobre o Projeto "Frutos da Terra".

Nenhum comentário:

Postar um comentário